quinta-feira, 7 de abril de 2016

A verdade antes da generosidade

Já ninguém pode falar num SportingLeaks. O Football Leaks virou definitivamente as agulhas para o FC Porto nos últimos dias. Só na última semana foram feitas sete publicações de documentos do FC Porto (e com uma vasta variedade de contratos nos casos de Casemiro, dos negócios de Alexandre de Pinto da Costa e de Corona), enquanto Benfica e Sporting há muito que não são visados. 

No último mês, a única coisa que se revelou do Sporting foi o salário de Coates. Do Benfica, basicamente só revelaram os contornos da renovação do contrato de Nico Gaitán, cuja engenharia foi aqui analisada no post «Abono de família». Ou o Football Leaks esgotou os seus documentos sobre Benfica e Sporting, o que não parece de todo ser o caso, ou decidiu dar tréguas à Segunda Circular e passar a visar quase exclusivamente o FC Porto. No mínimo suspeito curioso. 

É também de notar o facto de só à segunda tentativa a situação de Generoso Correia, avançado dos sub-19, ter ganho espaço mediático. Expliquemos:

A 8 de fevereiro o Football Leaks já tinha divulgado o mapa completo da situação contratual de todos os jogadores do FC Porto em relação ao TPO. Está lá Generoso Correia, que foi contratado ao Chaves em 2013, quando ia entrar no primeiro ano de juvenil.  Atualmente está no primeiro ano de sub-19.

Generoso nos sub-19, zerozero.pt

Na altura, foi esta a informação divulgada: o FC Porto tinha 40% do passe de Generoso; o Chaves 10%; e os restantes 50% estão na já bem conhecida Danubio Finanzierungsleistungen und Marketing GMBH, que ganhou 2,615M€ com 85% do passe de Kayembé, que tinha acabado de sair da equipa de juniores do Standard.

E o Standard é sempre o denominador em negócios que envolvam a Danubio, uma empresa ligada a Luciano D'Onofrio, mas que no contrato de Generoso está representada por Paul Stefani, empresário de Defour, outro ex-Standard. A lista que foi divulgada em fevereiro mostrou por exemplo que a Danubio ficou com 25% de Opare e terá ficado com 20% de Bolat (há uma nota a dizer que o acordo não está assinado, mas que existe um compromisso assumido). Dois jogadores que chegaram ao FC Porto a custo zero, diga-se.

Há também destaque para os contratos dos irmãos Djim, que são exatamente iguais. A saber 50% do passe para a SAD, 50% para a Danubio. Se algum dos irmãos Djim fizer 5 jogos pela equipa A, a SAD tem que comprar 20% do passe por 1,5M€; e se houver uma renovação de contrato, a SAD tem que comprar mais 10% por 1M€. 

Entretanto Célestin Djim foi vendido para as Arábias (o seu passe foi vendido mas o jogador continua no Metz, onde já jogou 12 minutos na segunda liga francesa). Não houve qualquer confirmação por parte da SAD de que tenham comprado mais 10% por 1M€ antes da transferência para o Al Hilal. Mas tecnicamente a SAD nunca afirmou que Djim foi diretamente transferido para o Al Hilal, embora tenha sido o caso. O R&C anual talvez ajude a perceber a operação. 

Tony Djim está atualmente a jogar com impressionante regularidade nos sub-19, mas pouco ou nada tem convencido. Tem 7 golos em 22 jogos, muito pouco para um júnior de segundo ano, sobretudo se tivermos em conta que em época e meia de juniores André Silva marcou 47 golos. E se comprar 30% do passe de Djim custaria ao FC Porto 2,5M€, então quanto valerá André Silva?

Num exemplo mais recente, Leonardo Ruiz fez 29 golos na última época nos sub-19. Importa dizer que Tony Djim não é um homem de área, joga muitas vezes pelo flanco (ficando Rui Pedro a ponta-de-lança), mas poucos ou nenhuns dos que acompanham os sub-19 do FC Porto conseguem enaltecer as qualidades de Tony Djim. E se uma simples renovação de contrato custará 1M€, então não, obrigado, temos melhores avançados e bem mais baratos nos quadros do clube. Basta dizer que para ir buscar André Silva ao Salgueiros o FC Porto pagou apenas mil euros. E André Silva tinha 15 anos. Quando comparamos os mil euros de André Silva com os irmãos Djim ou o valor do passe de Generoso...

É de realçar ainda que poderá ter havido outras despesas inerentes a estas contratações a envolver o Standard e/ou a Danubio. Por exemplo, segundo os R&C da SAD, em junho de 2014 o FC Porto devia 2,065M€ à Danubio; em dezembro de 2014, já devia 2,25M€; e em junho de 2015 a dívida já era de 2,676M€.

Mas de regresso ao tema inicial, Generoso Correia. Era isto que estava escrito no ficheiro divulgado em fevereiro:


Resumidamente, se Generoso assinar contrato profissional com o FC Porto, a SAD paga 100 mil euros ao Chaves; se fizer 10 jogos pela equipa A, a SAD paga mais 250 mil; e se fizer outros 10 jogos, a SAD paga outros 250 mil. Mas se Generoso fizer simplesmente 5 jogos pela equipa A, a SAD é obrigada a comprar mais 30% do passe à Danubio por 2,5M€.

Ora o contrato que foi publicado esta semana foi assinado em agosto de 2013, quando Generoso tinha 14 anos. 14 anos. E com um miúdo de 14 anos, o Chaves consegue uma receita potencial de 600 mil euros. Tendo em conta que o lucro gerado pelo Chaves na última época foi de 113 mil euros, aqui se vê o quão fantástico é este negócio para o Chaves. Além disso, em 2011 teve que ser aprovado um plano de viabilização para o clube, devido a um processo de insolvência. Dois anos depois, o Chaves já estava a negociar como gente grande. Notável, sobretudo porque talvez o Chaves não consiga vender nenhum dos seus jogadores da equipa A por 600 mil euros. Um abraço aos nossos amigos flavienses, que estão de parabéns. 

Mas há aqui algo que faz toda a diferença: todas, todas estas condições só são aplicáveis se Generoso assinar contrato profissional. O documento que o Football Leaks divulgou é de 2013, quando Generoso tinha 14 anos. Logo, e porque a verdade deve estar acima de tudo, não sabemos se todas estas condições são aplicáveis. Podemos criticar que o simples facto de admitirem fazer este negócio é uma loucura, mas não há ainda garantias de que o negócio tenha sido feito.

A crítica só faz sentido se for rigorosa e respeitar todos os factos. Por exemplo, lembram-se de Diego Maurício, que em 2014-15 fez apenas dois jogos pelo Vitória de Setúbal na primeira liga e foi dispensado por ser, simplesmente, fraco? Em 2011, a meio de uma época dourada para o FC Porto, escapámos a um dos maiores barretes da história:


Com ou sem proposta de 13 milhões, o FC Porto não contratou Diego Maurício em 2011, logo não cometeu esse erro. Ora Generoso fez 17 anos em dezembro, ou seja, só desde então pode assinar contrato profissional. Não há nenhuma informação pública que indique que Generoso assinou contrato profissional pelo FC Porto. Logo, não se sabe se estas condições são aplicáveis.

Se estas condições forem válidas, com a assinatura do contrato profissional, então pela sanidade e bom senso de qualquer portista só podemos deduzir isto: Generoso Correia é a maior promessa do futebol português, e Folha está completamente enganado ao não lhe dar mais oportunidades nos sub-19. Porque se um jogador de 14 anos fica vinculado à possibilidade de ter que pagar 600 mil euros ao Chaves e é avaliado em mais de 8M€ com base nas cláusulas celebradas com a Danubio, então esqueçam Rúben Neves ou Renato Sanches: a maior promessa do futebol português dá pelo nome de Generoso Júlio Nunes Correia (um miúdo a quem não se deseja nada mais do que boa sorte na construção da sua carreira profissional, pois nenhum jogador tem culpa de quanto custa e a quem custa, e que nunca deixe de lutar pelo sucesso do FC Porto e pela progressão na sua qualidade futebolística). Cá fica algo importante a esclarecer à entrada para o 14º mandato: o FC Porto desistiu da ideia de tornar Generoso Correia o rapaz de 14 anos com a maior avaliação da história do futebol português, ou o contrato profissional foi assinado e estamos perante um caso sério do futebol juvenil?

Hoje Pinto da Costa fala à nação portista. Que se faça ouvir o presidente.

8 comentários:

  1. De facto, assim fica fácil bater os rivais na contratação de jovens (ou não tão jovens) promessas. Basta fazer acordos mirabolantes que, ou não serão concretizados porque a promessa não passou disso mesmo, ou terão consequências e aí paga o clube (ou seja, todos nós) enquanto os papalvos apelam à união e a só se criticar nas AG...

    Parabéns pelo trabalho.

    ResponderEliminar
  2. Exigir um salário fixo, sem participação em comissões de transferências é o mínimo que os adeptos podem exigir ao presidente e aos administradores. Fosse na política, qualquer relação de um político com uma empresa do filho seria imediatamente pedida a sua demissão.

    ResponderEliminar
  3. "Que se faça ouvir o presidente." Que esperar da entrevista? O mesmo de sempre, ou melhor, o mesmo da última vez. Responde ao que lhe interessa, vai contornar a verdade para servir os seus interesses, voto de confiança na sua administração, que os jogadores não podem ser acusados de atitude, Peseiro é para continuar, a culpa dos maus resultados é da arbitragem, as modalidades estão com saúde e recomendam-se, todos os negócios que foram divulgados são mentira e só servem para desestabilizar, ataque ao Vítor Baía referindo-se ao seu local de trabalho, defender o filho e apelo à união dos adeptos.
    No fim da entrevista verei quantos tópicos acertei...

    ResponderEliminar
  4. As notícias de que houveram protestos na casa de Pinto da Costa são verdade?
    O que acha desta manifestação (a ser verdade...)?

    ResponderEliminar
  5. Os dirigentes da SAD têm direito a prémio pelo terceiro lugar no campeonato? Quanto?

    ResponderEliminar
  6. http://www.record.xl.pt/futebol/futebol-nacional/liga-nos/fc-porto/detalhe/ingleses-apontam-flops-saidos-do-dragao.html

    Coisa de "Ugandeses" ?? Parece me que andam por aí, também devemos estar atentos a isto.

    ResponderEliminar
  7. Tristeza de entrevista.

    Mentiras e demagogia em doses industriais

    ResponderEliminar
  8. Agora que o Slimani foi absolvido, era curioso fazer uma analise aos jogadores do Porto que tiveram sumarissimos relativamente aos do sporting e do benfica.

    Como é que depois daquilo não castigam o argelino?

    ResponderEliminar

De e para portistas, O Tribunal do Dragão é um espaço de opinião, defesa, crítica e análise ao FC Porto, que aborda a atualidade desportiva e financeira de clube e SAD, bem como do futebol português.

Quem confundir liberdade de expressão com injúria, insulto, mentira ou difamação não passará pelo lápis azul. Todo o spam será apagado. Comentários anónimos são susceptíveis de não serem publicados. Nicknames são permitidos.